Campos do Jordão

A frente fria chegou e com ela aquela vontade de um chocolate quente ou um vinho. Por isso, vamos falar de nossa breve passagem por Campos do Jordão, em Novembro, logo após uma ida a Ilha Bela. Isso mesmo, fomos de um extremo a outro: do calor para o frio e chuva.

        

Como foi uma decisão muito espontânea da nossa parte, passamos por algumas pousadas do Bairro Capivari e escolhemos uma bem próxima aos restaurantes e bares: a Pousada Villaggio Itália. A respeito dela só temos elogios para a limpeza, qualidade das acomodações e o ótimo atendimento desde nossa chegada sem reserva prévia.

Pousada Villaggio Itália em Campos do Jordão
pousada campos do jordão villagio de italia

As acomodações são ótimas. Dispõe do conforto de cama box, calefação, secador de cabelo, janelas anti-ruído, já que a pousada localiza-se no centro, entre outros itens.  Mas o que realmente fez toda a diferença para nós foi o quarto para não-fumantes, sem carpetes.

Parece um item básico, mas mesmo com todo cuidado e limpeza de outras pousadas e hotéis que visitamos, quando não há essa separação, o local torna-se um pesadelo para nós que somos alérgicos.

Passeios

Estação Emílio Ribas (Campos do Jordão) – Portal

Um dos passeios super legais que nós, netos de ferroviários, adoramos foi o do bondinho vermelho e amarelo que já é marca registrada lá em Campos do Jordão. Escolhemos o roteiro que dura cerca de 30 minutos e atravessa a cidade até o portal, assim você consegue ter uma visão geral da cidade pela Vila Jaguaribe, Abernéssia, Igreja Matriz. Mas há roteiro pra todos os gostos, bolsos e tempo. Acessando o site  www.efcj.sp.gov.br  é possível ter uma ideia dos horários, tarifas e percursos. Bem bacana!

bondinho campos do jordão

 

Teleférico do Morro do Elefante

Esse é o primeiro teleférico implantado no Brasil e desde a década de 70 dá acesso ao Morro do Elefante (a 1.800 m de altitude).   Lá do alto do Morro do Elefante o visitante tem uma visão privilegiada do bairro de Capivari.

Visitas

Vale a pena reservar um tempo na viagem pra conhecer o Museu Casa da Xilogravura, fundado pelo Professor Antônio Costella. É o único museu especializado em Xilogravuras no país e nele é possível descobrir o que é a xilogravura, a história dos meios de impressão e conhecer um extenso um acervo de belas obras nacionais e internacionais.  Ao nosso ver foi uma das coisas mais interessantes em nossa passagem por Campos do Jordão.

É só seguir as placas na cidade que facilmente você chega lá. Seguindo sentido a Vila Capivari, o Centro Turístico da cidade, faça o retorno em frente ao Supermercado Roma, situado em Vila Jaguaribe – vire à direita seguindo pelo caminho que leva a Igreja Nossa Senhora da Saúde. A Casa da Xilogravura está localizada em frente a igreja.

Museu da Xilogravura

museu da xilogravura campos do jordao

O currículo do tempo
cumprido
somatória é da vida
aprendida.

Voltar aos tempos anos
despido
da experiência acrescida
invalida.

Avançar até a velhice
vencido
pela exaustão incontida
a fadiga.

Que escolha Deus
provido
de precisão infinita
a soma dos dias e anos
de minha vida
vivida.

[Xilogravura – Antonio Costella]

xilogravura de Wei Zhi Ren

Avô está em casa – 1989, xilogravura de Wei Zhi Ren. (Foto: Vitória Batistoti)

 

Lugares

Como fomos sem reservas, só com a ideia na cabeça mesmo, acabamos fazendo umas escolhas mais óbvias por reviews mesmo, mas fugimos do tradicional foundee, o qual em média sai entre R$120 – 140.

Jantamos na Baden Baden, que tem opções vegetarianas (marido feliz!). Além da raclete e foundues, há opções de Cremes (queijo, palmito, aspargo) servidos no Pão Italiano,  queijo brie folhado que adoramos fazer em casa, Rösti recheada e Fettucine. O cardápio também conta com referência de harmonização/compatibilidade com as cervejas.
    

Agora, o melhor clichê de viagem (sem dúvida!) foram os chocolates .  De todas as lojas, o vencedor foi o Bruno Alves Chocolatier .Vá e compre todo chocolate que puder! Trouxemos pra nós, pra família e bateu aquela deprê quando acabou. Nem tem foto pra contar história =( .

Vista Chinesa

Quase passou desapercebida, mas  na volta é parada obrigatória: Vista Chinesa.
É uma bela forma de se despedir da cidade e regressar para casa.

Atenção: Chegamos lá com chuva e neblina, mas muita atenção no trânsito, curvas e controle da velocidade. Todo cuidado é pouco pra poder curtir a viagem sem sustos. Muita confiança no volante pode levar a um acidente. Para se ter uma ideia, na ida vimos alguns casos de carros e motos derrapando e na volta um acidente sério envolvendo um carro e caminhão nos fez ligar para o resgate.

Em geral, imaginávamos que a cidade fosse um pouco mais acolhedora. Com exceção dos locais que indicamos aqui, a impressão que fica é que fora de temporada não estão muito preocupados em atender bem. Porém essa foi nossa experiência, faz parte…

Dicas

  • O TripAdvisor é um grande guia nessa viagem.
  • Na baixa temporada você pode economizar até 60% nos valores das diárias.
  • O site NetCampos é bem atualizado e nele há várias dicas de passeio, hospedagem, restaurantes e informações sobre atrações na cidade.
  • Outras opções bacanas de hospedagem são:  a Pousada Campos dos Holandeses e Campos de Provence. Eles mantém uma comunicação bacana durante o ano e é acessível. Só não ficamos na Campos de Provence, pois queríamos ir a pé até os restaurantes. Mas conhecemos a pousada e é bem agradável. Só se informem se aceitam cartão de crédito/débito, pois na época em que fomos ainda não tinham implantado o sistema.

Posted by trilhadalente

Somos um casal que decidiu reunir seus destinos e fotografias para inspirar pessoas.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.